sábado, 2 de junho de 2012

Autoridades e empresários reuniram-se em São Paulo em seminário da Aesp

Autoridades, radiodifusores e técnicos se reuniram nesta quinta-feira em São Paulo, para participar de um seminário promovido pela Associação das Emissora de Rádio e TV do Estado de São Paulo (Aesp). O evento, que foi realizado durante todo o dia, foi uma espécie de resumo da NAB Show, organizada pela National Association of Broadcasters, principal evento do setor de comunicação no mundo, realizado entre 14 a 19 de maio em Las Vegas (nos Estados Unidos).

Durante o seminário da Aesp, que teve vários assuntos discutidos, um dos principais foi a digitalização do rádio brasileiro. Segundo informações do portal Jovem Pan Online, o padrão de sistema de rádio digital do Brasil será anunciado em até 90 dias. A discussão, que tramita há muito tempo no Congresso Nacional, promete sair do papel este ano.

O relator da comissão de Rádio Digital assinalou que não há mais tempo para adiamentos e que a definição está em fase final. O deputado federal Sandro Alex, do Paraná, destacou que este é um clamor dos agentes da radiodifusão brasileira. “Nós estaremos anunciando, após o congresso da ABERT, acredito que em 90 dias (...) Este ano nós teremos a definição do novo padrão para o Brasil”. A migração das AMs para as frequências nos canais cinco e seis também está na pauta de discussões. O governo federal reservou duas faixas para serem utilizadas pelas emissoras de rádio.

O presidente da Associação das Emissoras de Rádio e Televisão de São Paulo apontou os benefícios da nova modalidade. Em entrevista ao repórter Daniel Lian, Rodrigo Neves enfatizou a importância deste incremento já que o rádio é fundamental para o cotidiano da sociedade. “A partir do momento que você dá a possibilidade de colocar o conteúdo do AM, que é mais informativo e de prestação de serviço, também no FM. Você está equilibrando a competição entre as duas freqüências”.

O conselheiro da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão, Daniel Slaviero, indica que as ações precisam ganhar celeridade. De acordo com ele, a rápida definição é essencial para assegurar um salto de qualidade na radiodifusão do país.

O superintendente de Comunicação de Massa da Anatel, Marconi Maia, explicou que o órgão está se preparando para gerir a política pública focada no tema. Marconi Maia entende a reclamação dos empresários para a rapidez na implementação, mas não arrisca um prazo.

Autoridades e empresários se reuniram ontem num seminário promovido pela AESP - Associação das Emissoras de Rádio e TV de São Paulo. O evento, que discutiu o futuro da radiodifusao do País, teve o apoio da ABERT - Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão.

Com informações do Portal Jovem Pan Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário