segunda-feira, 3 de março de 2014

"O RÁDIO ESTÁ À BEIRA DO FIM "

"Dá dó verificar naquilo em que o rádio está se transformando. Nas emissoras do interior, onde as dificuldades de manutenção são ainda maiores, a desenfreada ocupação de espaços acontece há muito tempo, em grande parte pelas igrejas com as mais diversas denominações. Encontrar bom jornalismo e mesmo programas musicais ou culturais é como buscar agulha no palheiro.

 E, isto, agora de forma mais intensa, passou a acontecer também nas principais capitais. Há o esforço de algumas poucas em resistir heroicamente e tentar fazer um rádio de qualidade, enquanto todas as demais, comodamente, já se deixaram envolver por este completo desatino.

Tudo sob as vistas das nossas autoridades, que por questões políticas e objetivos eleitorais, preferem se manter a uma distância regulamentar. É uma pena e uma irresponsabilidade o que está acontecendo. Pela sua importância, o rádio deveria receber um tratamento mais cuidadoso, tanto por parte dos seus proprietários - aqueles que lutaram para obter as concessões - quanto dos órgãos responsáveis, através de medidas urgentes que possam estimular a transmissão de programações com maior carga de informação e entretenimento. Alguma coisa precisa ser feita"

 (FLÁVIO RICCO, colunista do UOL, comentário publicado em 3 de março de 2014).

Nenhum comentário:

Postar um comentário