segunda-feira, 25 de agosto de 2014

'Datena estava completamente fora de si', diz Milton Neves sobre briga


O jornalista Milton Neves em seu escritório, na avenida Paulista, em foto de novembro de 2013
Por DANIEL CASTRO e PAULO PACHECO, em 25/08/2014 · Atualizado às 15h08
O jornalista Milton Neves diz que José Luiz Datena estava transtornado quando invadiu o estúdio da rádio Bandeirantes, no final da manhã de domingo (24), e o xingou no ar, ao vivo. Nesta segunda (25), Datena foi suspenso por dois dias pela direção da Band. Só voltará a apresentar o Brasil Urgente na quarta-feira (27). A Band ainda estuda se afastará Datena de suas atividades na Bradesco Esportes FM.
"Lamento muito, o cara [Datena] é muito gente boa", disse Neves ao Notícias da TV ao saber da suspensão do colega de Band. Segundo o apresentador do Terceiro Tempo, não houve agressão física. "O cara [Datena] estava completamente fora de si. Alguém deve ter falado alguma coisa para ele. A pessoa não pode ficar nervosa por ser elogiada", afirma Neves.
No programa Domingo Esportivo, da rádio Bandeirantes, Milton Neves conversava com o comentarista Neto, por telefone, sobre o ex-jogador do Coritiba José Hidalgo Neto, conhecido como Capitão Hidalgo. Neves lembrou que Datena morou em uma pensão do atleta quando trabalhava no Paraná.


"Sabe quem morou na casa do Hidalgo em Curitiba, que estava desempregado na vida? José Luiz Datena. 'Filou boia' lá e até hoje ele é grato, porque tem muito ingrato por aí que não olha para trás, mas o Datena agradece o Hidalgo até hoje".
Na sequência, Milton Neves elogiou Datena e mandou um recado diretamente a ele: "Eu, viu, Datena, também trabalhei no rádio esportivo de lá [do Paraná] e morei em uma pensão que eu vou dizer uma coisa para você... E você morava com o Hidalgo e estava muito bem acomodado. Ao contrário de você, eu passei fome e frio. Grande Datena, deitou e rolou no Paraná antes de virar essa estrela nacional".

Após a história, Milton Neves ofereceu um vinho a Datena. Minutos depois, foi interrompido pelo apresentador do Brasil Urgente, que invadiu o estúdio aos gritos, xingando: "Meu, que merda é essa que você fala? Que merda é essa? É o caralho!", bradou o jornalista. Os palavrões vazaram no ar e programa foi interrompido às pressas.
'Eu acabo com você'

Segundo Milton Neves, partiu do jornalista Cláudio Zaidan, que apresentava o Domingo Esportivo com ele, a iniciativa de chamar os comerciais. Neves afirma que Datena não tentou agredi-lo fora do ar, apenas falou mais palavrões. "Foi muito rápido. Entre a porta e mim, estava o Zaidan. Ele chegou, xingou e foi embora. Não houve briga. Não existe briga de uma pessoa só".

Segundo Neves, um atrito ocorrido publicamente entre os dois, em 2003, já foi superado. Na época, Datena apresentava o Brasil Urgente, na Band, e Neves o Cidade Alerta, na Record.
Após uma cerimônia de premiação, em São Paulo, Neves foi até uma delegacia de polícia prestar queixa contra Datena. Segundo o boletim de ocorrência, Datena cumprimentou todos os presentes, menos ele. Depois disso, o teria ameaçado dizendo que "Se você [Neves] me chamar de novo de cachorro louco no ar, eu acabo com você, te arrebento, te destruo, te quebro".
Esse incidente é coisa do passado, afirma Neves. "Não há mais nenhum atrito entre nós. Nossos camarins ficam lado a lado, nossos filhos são amigos", diz. Neves faz questão de elogiar Datena no ar e nas redes sociais. Há uma semana, tuitou que Datena estava "brilhante" ao conduzir a cobertura da prisão do médico Roger Abdelmassih, no Paraguai