segunda-feira, 6 de agosto de 2012

RÁDIO CULTURA DE ARARAQUARA COMPLETA 80 ANOS




No ano 1.932, uma dupla de amigos mudou a história de Araraquara ao fundar uma "Emissora de Rádio". Entusiastas da radioeletrônica formaram uma sociedade. O que de início era apenas um "hobby", passou a ser a conceituadíssima Rádio Cultura Araraquara, uma das primeiras emissoras de rádio do Brasil.
O primeiro equipamento de transmissão foi montado no prédio da Rua São Bento, nº. 1128 .



Operando em Ondas Médias (AM) na frequência de 1.370 kilohertz, recebeu na época o prefixo de PRD-4, com o qual atuou até o início da década de 60. Foi a primeira emissora de Rádio do país a lançar um programa com a doutrina espírita e com apresentação de Cairbar Schutel. Foi pioneira em várias realizações radiofônicas e sua cobertura era fantástica, ainda mais porque o espectro não contava com outras emissoras ou a interferência elétrica, gerada por eletrodomésticos e instalações elétricas. Mesmo operando só em AM, recebia cartas de Recife, Salvador e de um grande número de cidades brasileiras distantes de Araraquara.


Em 1.936 a Rádio Cultura Araraquara foi autorizada a operar com 500 watts de potência e suas instalações ocupavam um prédio localizado na Avenida Feijó, entre as ruas Gonçalves Dias e 9 de Julho. Na década de 50 passou a operar também em Ondas Tropicais (OT) na frequência de 4.915 kilohertz, na faixa de 62 metros. Nesta mesma época, a Rádio Cultura Araraquara lançou o seu "Rádio Teatro PRD-4". No início da década de 60 a equipe de Rádio Teatro conseguiu o primeiro lugar, entre mais de 25 equipes concorrentes, em um concurso promovido em São Paulo pela Rede Tupi de Televisão.


Em agosto de 1.976, a Rádio Cultura, sempre seguindo a trilha de ser pioneira, inaugurava suas transmissões com som estereofônico, através de sua emissora de Frequência Modulada (FM), que, operando na frequência de 97,3 megahertz, recebeu o prefixo ZYD 805. Mas esta transmissão em Frequência Modulada, já existia também pioneira desde 1.949, quando o sinal era utilizado para enviar o sinal dos estúdios até os transmissores de AM, e posteriormente gerar programação própria. Nessa ocasião, a Rádio Cultura Araraquara foi a primeira emissora do interior do Estado de São Paulo a lançar som estéreo em FM, deixando para trás cidades de porte maior, como: Ribeirão Preto, Campinas, Santos, entre outras. Sempre primando pela máxima qualidade técnica e artística, a Rádio Cultura Araraquara se lançou na estereofonia utilizando equipamentos importados super sofisticados, linguagem jovem, dinâmica e inteligente. Com isso, conquistou ouvintes das mais variadas faixas etárias e classes sociais.




Em 1983, a emissora de AM passou a operar em nova frequência, 790 kilohertz, menos congestionada, e dando aos ouvintes a condição de receber um som de muito mais qualidade e livre de interferências.

Em 2000, com o aumento de potência, a Cultura FM passou a cobrir toda a nossa vasta região central do Estado de São Paulo.


Em 2001, a Rádio Cultura Araraquara, uma das mais tradicionais emissoras de Rádio do país, reestruturou-se empresarialmente. Integrando às novas perspectivas de crescimento e solidificação do desenvolvimento regional, mantendo sempre a admiração e confiança dos ouvintes e do mercado, solidificadas ao longo destes 70 anos de pioneirismos, arrojos e conquistas.



Video institucional da Rádio Cultura FM de Araraquara - SP - Brasil, gravado em 1995 mostrando grande parte dos funcionários da emissora na ocasião.

Algumas pessoas que consegui identificar Cazuza, Carlinhos, Toninho, Wagner, Baby, Chico de Assis Zeze Belini, Mario Passerinhe, Araujo, Irene Volpati, Marcello R. Furtado, Conde, Marcão (Droga Ven), Samuka, Marinho Rosa, Cassio Prando, José Carlos Magdalena, Julio Cesar,Baby Soares, Djalma Laroca, Adilson Telaroli Glauber Rocha


2 comentários:

  1. Conheci três endereços em que a Cultura de Araraquara funcionou: Avenida Espanha, Avenida Feijó, e Avenida Bento de Abreu. No prédio hoje demolido da Av. Espanha foi onde conheci a saudosa Baby Soares, e também o Geraldo Polesi, a Zezé Bellini, a Irene Volpati, a Lúcia Furtado. E na Bento de Abreu foi a vez do Nil Bueno e da Verônica Lobo. Gente que passou por minha vida nestes 50 anos que comemorei em julho, e de quem ainda me lembro com carinho e saudade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria de agradecer por me relacionar neste time de ouro, locutores feras da nossa querida e saudosa Rádio Cultura de Araraquara.
      Abraço
      Verônica Lobo

      Excluir